A DESIGNAÇÃO DA SINGULARIDADE NO RESSOAR DO JOGO ENTRE A ESTRUTURA E O ACONTECIMENTO

Autores

  • Sandro Braga Universidade Federal de Santa Catarina
  • Patrícia da Silva Meneghel Universidade do Sul de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i42.1030

Palavras-chave:

Arquiestrutura, Estrutura, Acontecimento, Enunciado, Singularidade

Resumo

Neste artigo discute-se a noção de estrutura e de acontecimento aproximando as perspectivas teóricas propostas por Gilles Deleuze, Michel Pêcheux e Michel Foucault. Além da desses autores, a noção de estruturalidade, de Derrida, é empreendia para a sustentação do argumento de que para existir uma estrutura é preciso haver, antes, o que o autor chama condições para a existência da estrutura, que neste artigo está sendo tratada como arquiestrutura, condição não só para a instauração da estrutura como também do enunciado, do acontecimento e da singularidade. Para isso, percorre-se o percurso teórico-metodológico no intento de pontuar o ingresso da subjetividade na linguagem a partir da perspectiva enunciativa e a abertura para os estudos do discurso. Na sequência, apresenta-se a proposta central deste trabalho buscando-se mostrar como a singularidade é designada no acontecimento que tem como ponto de emergência o enunciado fruto do ressoar da estrutura determinante. As discussões apontam a singularidade como o efeito de real, materializada no enunciado a partir do ressoar entre a estrutura e o acontecimento. Em outros termos, a singularidade está justamente na efetivação do acontecimento, atualizando-o em um contínuo incessante, mas, por outro lado, evadindo-se dele e se prolongando a outros acontecimentos descontínuos.

 

 

Creative Commons License 
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Sandro Braga, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Comunicação Social Jornalismo (UFSC-1998) e em Letras Português (UFSC-2011); mestrado em Linguística na área da análise do discurso (UFSC-2001); doutorado em Linguística no campo da filosofia da linguística (UFSC-2007). Atualmente é professor Adjunto A da Universidade Federal de Santa Catarina, no Departamento de Língua e Literatura Vernáculas. Na graduação, atua na área de produção textual dos gêneros da esfera acadêmica e profissional e da análise do discurso. É credenciado ao Programa de Pós-graduação em Linguística no âmbito da linha de pesquisa Linguagem: discurso, cultura escrita e tecnologia. E membro do NELA - Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada da UFSC. Interessa-se por temas de pesquisas que envolvam práticas discursivas em processos de leitura e escrita.

Patrícia da Silva Meneghel, Universidade do Sul de Santa Catarina

Doutora em Ciências da Linguagem, Mestre em Educação e graduada em Ciência da Computação pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Atualmente, professora titular da Universidade do Sul de Santa Catarina Presencial e Virtual, Gestora das Unidades de Aprendizagem Virtual (UAV) da UNISUL / UnisulVirtual.

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Braga, S., & Meneghel, P. da S. (2017). A DESIGNAÇÃO DA SINGULARIDADE NO RESSOAR DO JOGO ENTRE A ESTRUTURA E O ACONTECIMENTO. Revista Da Anpoll, 1(42), 71–85. https://doi.org/10.18309/anp.v1i42.1030