Padrões de marcação possessiva em línguas ameríndias: um estudo tipológico preliminar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i45.1093

Palavras-chave:

Posse nominal, Padrões de marcação possessiva, Línguas Ameríndias

Resumo

Nosso objetivo nesse trabalho tipológico é mostrar como um grupo de 39 línguas indígenas faladas ou que já foram faladas na América do Sul se comportam em relação à marcação de posse. Nesse estudo, nós mostraremos que as construções alienáveis nas línguas que apresentam diferenças formais entre as categorias de posse alienável e inalienável (Grupo A) são em sua maioria núcleo-marcadas, bem como nas construções inalienáveis, em que esse padrão foi também o mais recorrente. Nós também iremos mostrar que as línguas do Grupo A não exibem construções inalienáveis marcadas no dependente, além do fato de que os padrões de marcação de posse estão relacionados, entre outros resultados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Paulo Henrique Pereira Silva de Felipe, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Licenciatura em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- UFMS (2013), mestrado em Linguística, na área de línguas indígenas, pela Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP (2016), e, atualmente, é doutorando do curso de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem/IEL, na mesma instituição. Tem experiência em Linguística, com ênfase em Línguas Indígenas, Tipologia Linguística, Descrição Linguística e Língua Portuguesa.

Downloads

Publicado

2018-08-22

Como Citar

de Felipe, P. H. P. S. (2018). Padrões de marcação possessiva em línguas ameríndias: um estudo tipológico preliminar. Revista Da Anpoll, 1(45), 106–124. https://doi.org/10.18309/anp.v1i45.1093

Edição

Seção

SEÇÃO LINGUÍSTICA