Formas de tratamento no limiar do século XX: uma análise sociopragmática

Autores

  • Marinalda Freitas Valentim Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Mariana Fagundes de Oliveira Lacerda Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Zenaide de Oliveira Novais Carneiro Universidade Estadual de Feira de Santana https://orcid.org/0000-0001-5990-4854

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i45.1134

Palavras-chave:

Pronomes de tratamento, Cartas pessoais do século XX, Português Brasileiro

Resumo

A partir de uma perspectiva sociopragmática, esta pesquisa analisa o uso das formas tratamentais na posição de sujeito pleno, nas Cartas para Severino Vieira – Governador da Bahia (1901-1902). Dessa forma, busca-se observar a distribuição das estratégias de tratamento conforme a situação comunicativa que se estabelece entre remetente e destinatário, de acordo com a teoria do Poder e Solidariedade (BROWN; GILMAN, 1960) e a Teoria da Polidez (BROWN; LEVINSON, 1989). A análise dos dados também leva em conta os pressupostos teóricos da sociolinguística laboviana (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968), no sentido de identificar os fatores que condicionam o uso alternado dos pronomes de tratamento na amostra em análise. Os resultados apontam uma predominância da forma nominal Vossa Excelência, estabelecendo assim, na sua maioria, uma relação entre os interactantes assimétrica ascendente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marinalda Freitas Valentim, Universidade Estadual de Feira de Santana

Mestranda em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual de Feira de Santana e graduada em Licenciatura em Letras Vernáculas pela mesma universidade. Integrante dos projetos de pesquisa Vozes do sertão em dados: história, povos e formação do português brasileiro e do CE-DOHS - Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão (www.uefs.br/dohs),(FAPESB 5566/2010), inicialmente como bolsista PEVIC, depois como bolsista PROBIC e atualmente, como colaboradora.

Mariana Fagundes de Oliveira Lacerda, Universidade Estadual de Feira de Santana

É graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Federal da Bahia, mestrado e doutorado em Linguística pela mesma instituição, com estágio de doutoramento no Centro Linguístico da Universidade de Lisboa, financiado pela Capes. É pesquisadora do Projeto Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão – financiado pela Fapesb –, que faz parte do Núcleo de Estudos em Língua Portuguesa da Universidade Estadual de Feira de Santana, onde é professora adjunto B da subárea de Linguística.

Zenaide de Oliveira Novais Carneiro, Universidade Estadual de Feira de Santana

É graduada em Letras pela Universidade Estadual de Feira de Santana (uefs), mestre em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Cumpriu estágio de pós-doutorado em Linguística de Corpus, também pela Unicamp. Atualmente é professora plena da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), atuando em diversos programas de pós-graduação. Coordena o Projeto ce-dohs - Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão (www.uefs.br/cedohs) e o Projeto Vozes do Sertão em Dados: história, povos e formação do português brasileiro, financiados, respectivamente, pela Fapesb e pelo CNPq. É membro do Programa para a História do Português (Prohpor) e do Projeto para a História
do Português Brasileiro (phpb), desde a sua fundação, em 1997.

Downloads

Publicado

2018-08-22

Como Citar

Valentim, M. F., Lacerda, M. F. de O., & Carneiro, Z. de O. N. (2018). Formas de tratamento no limiar do século XX: uma análise sociopragmática. Revista Da Anpoll, 1(45), 125–155. https://doi.org/10.18309/anp.v1i45.1134

Edição

Seção

SEÇÃO LINGUÍSTICA