Processos de Formação de Neologismos no Instagram

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1230

Palavras-chave:

Morfologia, Formação de Palavras, Neologismo

Resumo

Neste artigo, temos como objetivo estudar os processos de formação de neologismos inseridos no meio digital Instagram, em 2017, a partir das seguintes palavras: sabadar, pleníssimo, estranhice, carnistas, contatinho, pré-nada, baile, stalker, stalkeio e meme. Valemo-nos dos fundamentos teóricos da morfologia do português e verificamos o possível registro das palavras selecionadas nos dicionários Houaiss (2009), Aurélio (FERREIRA, 2009) e Michaelis (2017), além da aceitação da comunidade linguística. Como resultado de nossa pesquisa, neologismos produzidos pelo processo de derivação sufixal foram os casos mais produtivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mirella De Souza Balestero, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo

É doutoranda em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (FCLar-UNESP). É mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela mesma universidade. Possui graduação em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atualmente desenvolve pesquisas em Linguística, com ênfase em Estudos do Léxico - Terminologia e Terminografia - e em Revisão de Textos. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Terminologia (GETerm), da Universidade Federal de São Carlos e do Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional (NILC/ICMC-USP).

Camila Bordonal Clempi, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo

É doutoranda em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) - Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara (FCLAr) e mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela mesma instituição. É graduada em Letras (Português/Inglês) pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Atualmente desenvolve pesquisas em Linguística, com ênfase em Sociolinguística, e é membro do Núcleo de Pesquisas em Sociolinguística de Araraquara (SOLAr).

Daniel Soares Da Costa, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo

É doutor em Linguística e Língua Portuguesa e professor do Departamento de Linguística da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP de Araraquara. Atualmente, desenvolve pesquisas nas áreas de Fonologia e Morfologia, com ênfase na interface entre essas duas áreas, a Morfofonologia; e também na área de Neologia, investigando a criação de palavras novas em letras de músicas brasileiras, nos seus diversos estilos. Também possui formação em Música, com especialidade em Violão Erudito, tendo desenvolvido, em seu doutoramento, uma metodologia que une Música e Linguística no estudo da prosódia de línguas.

Downloads

Publicado

2020-05-08

Como Citar

De Souza Balestero, M., Bordonal Clempi, C., & Soares Da Costa, D. (2020). Processos de Formação de Neologismos no Instagram. Revista Da Anpoll, 51(1), 83–95. https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1230

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2020)