Este "negócio" é polissemia ou homonímia?

Letícia Lemos Gritti, Sandra Mara Fernandes dos Santos, Lovania Roehrig Teixeira, Robson Deon

Resumo


Este artigo, a partir de um ponto de vista semântico, analisa o item lexical 'negócio' usado em diferentes contextos no Português Brasileiro, desde os mais formais até os mais informais. Analisam-se as características do item, utilizando o conceito de ambiguidade. Tal fenômeno diz respeito à capacidade múltipla de significado que uma mesma palavra pode ter em determinados contextos. Mais especificamente, o estudo procura esclarecer se a ambiguidade lexical da palavra negócio é gerada por polissemia e/ou homonímia, dois tipos particulares de ambiguidade. As principais concepções teóricas são de Ilari e Geraldi (1987), Ilari (2002), Cambrussi e Poll (2015), Ferraz (2014), Pustejovsky, (1995) e Lyons (1977). Após análises, verificou-se que a palavra 'negócio' pode tanto apresentar usos em que apresenta ambiguidade por polissemia quanto ambiguidade por homonímia. Até onde se pode verificar, esse tipo de análise de 'negócio' é inédito na literatura linguística.

Palavras-chave


Polissemia; Homonímia; Semântica; Ambiguidade; Negócio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i48.1251

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Letícia Lemos Gritti, Sandra Mara Fernandes dos Santos, Lovania Roehrig Teixeira, Robson Deon

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.