Conceito de Letramento e a Formação de Professores de Línguas

Pedro de Moraes Garcez

Resumo


Que relevância ou utilidade tem o conceito de letramento no que tange à formação de educadores (da linguagem)? Partindo de uma definição de letramento de larga circulação entre nós, discuto dificuldades para o emprego consistente do termo. Propondo cautela ao relacionar letramento diretamente com aprendizagem, destaco a necessidade de reflexão sobre as concepções de ação pelo uso da linguagem coerentes com tomar o conceito de letramento como relevante e útil com vistas à educação linguística escolar. Para articular isso com educação linguística e formação de professores, apresento minhas convicções acerca do propósito da educação linguística escolar e do lugar da reflexão metalinguística no ensino de línguas. Alertando para uma compreensão equivocada de que os gêneros textuais[/]discursivos seriam – eles próprios – objetos de ensino, reitero a convicção de que, tendo o letramento como pronto de referência, “uma abordagem funcional e estrutu­rante” (SIMÕES; FILIPOUSKI; MARCHI, 2009, p. 49) dos gêneros permite uma arquitetura didático-pedagógica para a educação linguística escolar. Por fim, referindo propostas coletivas de organização curricular para a educação linguística escolar pautadas pela noção de letramento, argumento que iniciativas de formação devem fomentar o protagonismo de professores-autores-formadores com vistas a uma educação linguística escolar satisfatória frente às demandas e contradições da contemporaneidade.

Palavras-chave


Ação; Educação Linguística; Letramento; Literacia; Formação de Professores

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i49.1299

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Pedro de Moraes Garcez

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.