Unidades léxicas tabus nos dicionários on-line Michaelis, Aulete e Priberam

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i1.1471

Palavras-chave:

Léxico Tabu, Marcas de uso, Dicionários

Resumo

O léxico de uma língua permite que nele se entreveja o modo como a comunidade percebe o mundo que a circunda, em seus diferentes aspectos. Dentro de cada item lexical são postas e expostas todas as informações. Assim, por meio do seu estudo podemos ter uma ideia de preconcepções e tabus que permeiam a sociedade. Neste artigo procuramos compreender as unidades tabus e sua importância na língua, elegendo como objeto de estudo a definição e a aposição de marcas de uso a alguns itens lexicais que têm uma ou mais acepções consideradas ofensivas, e por isso tabus, dentro de alguns verbetes, nos dicionários disponíveis on-line Aulete, Michaelis e Priberam. Tendo como respaldo as teorias das duas grandes ciências em que se enquadra esta pesquisa, Lexicologia e Lexicografia, com alicerce em Béjoint (2000), Borba (2003), Bugueño Miranda e Borba (2019), Henriques (2011) e Welker (2004), esperamos colaborar para a discussão sobre a temática das rubricas em obras de consulta e a pouca atenção que recebem de lexicógrafos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vivian Orsi, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, São Paulo, Brasil

Vivian Orsi, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) é Doutora e mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Tem pós-doutorado na Università degli Studi di Torino. É professora do Departamento de Letras Modernas e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE) da UNESP, câmpus de São José do Rio Preto.

Referências

AEDO, S.; FARÍAS, M. Etnofaulismos, coprolalia, representaciones y estrategias discriminatorias: el caso del discurso chileno antiperuano. Discurso & Sociedad, vol. 3(3), p.372-396, 2009.

AULETE, C. Aulete Digital. Dicionário contemporâneo da língua portuguesa: Dicionário Caldas Aulete, online. Lexikon Editora digital. Disponível em: http://www.aulete.com.br/. Acesso em 05 jul. 2020.

BÉJOINT, H. Modern Lexicography: an introduction. Oxford: Oxford University Press, 2000.

BORBA, F. S. Organização de dicionários: uma introdução à lexicografia. São Paulo: UNESP, 2003.

BUGUEÑO MIRANDA, F. V.; BORBA, L. C. (orgs.) Manual de (Meta)Lexicografia. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico, 2019.

CORREIA, M. Lexicografia no início do século XXI – novas perspectivas, novos recursos e suas consequências. In: JÚNIOR, M. A. (coord.) Lexicon – Dicionário de Grego-Português/Actas de Colóquio. Lisboa: Centro de estudos Clássicos/FLUL, p. 73-85, 2008.

FAJARDO, A. Las marcas lexicográficas: concepto y aplicación práctica en la Lexicografía española. Revista de Lexicografía, v. 111, p. 31-57, 1996-1997

FRANKENBERG-GARCIA, A. The lexicography of Portuguese. In: HANK, P.; DE SCHYVER, G. M. (orgs.). International Handbook of Modern Lexis and Lexicography. Springer, Berlin, Heidelberg, p.1-10, 2017.

GUÉRIOS, M. Tabus Linguísticos. Curitiba: Editora “Organização Simões”, 1956.

HENRIQUES, C. C. Léxico e semântica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

KASAMA, D. Y. Etnofaulismos e os dicionários monolíngues brasileiros. São José do Rio Preto: 2015, 207f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - IBILCE/UNESP.

LÉVI-STRAUSS, C. Antropologia estrutural. Tradução de Chaim Samuel Katz e Eginardo Pires. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

MICHAELIS. Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Editora: Melhoramentos Ltda. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/. Acesso em 05 jul. 2020.

MORALES, H. L. Sociolinguística del tabú. Disponível em: http://www.usal.es/gabinete/comunicacion/conferencia_humberto.pdf. Acesso em 05 nov. 2006.

NAGEM, R. L.; AMARAL, S. E. Analogias e metáforas na educação afetivo-sexual. Anais V ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. São Paulo: Edwaldo Lima da Silva e Sérgio Camargo, p. 1-12, 2005.

ORSI, V. Tabu e preconceito linguístico. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 9, p. 334-348, 2011.

ORSI, V.; BUENO, M. S. Turpilóquio em português e italiano: reflexões sobre marcas de uso de itens tabus em dicionários. Domínios de Lingu@Gem, v. 8, p. 399-412, 2014.

PRIBERAM, Dicionário priberam da lingua portuguesa. Porto/Portugal: Priberam, 2008. Disponível em: https://www.dicionario.priberam.com. Acesso em 05 jul. 2020.

RODRÍGUEZ, A. M. Tabus lingüísticos do Português do Brasil. Anais III Congresso Nacional de Lingüística e Filologia. Rio de Janeiro: Cadernos CNLF. v. 5. p. 86-94, 2000.

WELKER, H. A. Dicionários – Uma pequena introdução à Lexicografia. Brasília, DF: Thesaurus, 2004.

Downloads

Publicado

2021-05-31

Como Citar

Orsi, V. (2021). Unidades léxicas tabus nos dicionários on-line Michaelis, Aulete e Priberam. Revista Da Anpoll, 52(1), 257–274. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i1.1471

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2021)