O Gender da crônica parisiense: de Delphine de Girardin a Colette

Marie-Eve Thérenty

Resumo


Este artigo é dedicado à crônica parisiense, cujos críticos sempre destacaram o “lado feminino”, amparando-se sua na origem, geralmente atribuída a Delphine de Girardin, e, ao mesmo tempo, em sua poética conversacional e mundana. Tal percepção da crônica como gênero feminino levou, por um lado, a uma prática masculina deste tipo de texto sob pseudônimo feminino e, por outro lado, à legitimação de uma série de cronistas mulheres no fim do século. As questões aqui abordadas tratam da investigação sobre a divisão do feminino e do masculino na crônica francesa do século XIX e da primeira metade do século XX, e, de modo mais abrangente, do exame da sexuação dos gêneros jornalísticos. 


Creative Commons License 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License


Palavras-chave


Crônica; Gênero; Poética; Delphine de Girardin; Collete; Chronic; Gender; Poetic; Delphine de Girardin; Collete

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i38.845

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2015 Revista Anpoll

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.