O LÉXICO COMO INDÍCIO DE ORALIDADE EM MANUSCRITOS DA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XVIII DAS MINAS GERAES

Autores

  • SOÉLIS Teixeira Prado Mendes Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i42.939

Palavras-chave:

Manuscritos, Combinações lexicais restritas, Oralidade

Resumo

Não existe outra forma de pesquisar a língua pretérita que não seja por meio da escrita, sejam os textos literários ou não-literários. Mas qual o grau de representatividade da oralidade em documentos pretéritos? Esta é a questão que, de forma geral, conduziu a pesquisa realizada e cujos resultados serão apresentados neste artigo. Nosso objetivo é discutir (e mostrar) de que forma combinações lexicais restritas, extraídas de 14 processos-crime, escritos em Vila Rica e em Vila Real de Sabará, na primeira metade do século XVIII, período que marca a colonização das Minas Geraes, indiciam a presença de oralidade nesses documentos. Após o levantamento e análise de 42 combinações lexicais restritas e a respectiva busca em corpora coetâneos, constatou-se que nove delas, que não figuraram nos bancos de textos pesquisados, podem ser consideradas como resquícios de oralidade.

 

 

Creative Commons License 
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

SOÉLIS Teixeira Prado Mendes, Universidade Federal de Ouro Preto

Professora Adjunta do Departamento de Letras (graduação e pósgraduação) do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Ouro Preto_ DELET/ICHS/UFOP

Downloads

Publicado

2017-05-19

Como Citar

Prado Mendes, S. T. (2017). O LÉXICO COMO INDÍCIO DE ORALIDADE EM MANUSCRITOS DA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XVIII DAS MINAS GERAES. Revista Da Anpoll, 1(42), 41–51. https://doi.org/10.18309/anp.v1i42.939