A sutil interface meta história e crítica social: Um mergulho em Desmundo e O retrato do Rei

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v47i1.1184

Palavras-chave:

Literatura, História, Construção de personagens, Crítica social

Resumo

Este trabalho visa discutir como a utilização da meta história pode implementar a crítica social, tendo como referência os romances Desmundo e O retrato do rei de Ana Miranda. Para tanto, buscamos analisar como, a partir das possibilidades instauradas entre a literatura e a história, este processo se operacionaliza. Neste contexto, focaremos como a construção das personagens e a relação estabelecida entre os textos e entretextos apresentados – repletos de intertextualidades, com percepção híbrida e de característica suplementar – contribuem para a constituição de parâmetros de crítica social. Sob esta perspectiva, tomaremos as referências conceituais de Linda Hutcheon (1991), Hayden White (2001), Robert Stam (2006) e Mikhail Bakhtin (2011).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cristina Reis Maia, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

Analista Judiciária no TJRJ, com formação em Serviço Social, Psicologia e Letras e Mestrado Acadêmico em Antropologia e Estudos Literários (em curso).

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

Maia, C. R. (2018). A sutil interface meta história e crítica social: Um mergulho em Desmundo e O retrato do Rei. Revista Da Anpoll, 1(47), 93–105. https://doi.org/10.18309/anp.v47i1.1184

Edição

Seção

SEÇÃO LITERATURA