As Formas Lógicas Dependem de Modelos Semânticos: as Sentenças Disjuntivas Ilusórias como Evidência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1340

Palavras-chave:

Disjunção, Possibilidade Icônica, Ilusão, Forma Lógica, Semântica

Resumo

A teoria dos modelos mentais é capaz de explicar um amplo espectro de fatos relacionados à cognição. No entanto, pode-se pensar que o problema com essa teoria do ponto de vista linguístico é que ela ignora a forma lógica e, portanto, a sintaxe. Foi proposto que existem maneiras de vincular a teoria dos modelos mentais a estruturas formais. Contudo, permanece um problema em propostas desse tipo: a detecção de formas lógicas sempre parece depender de possibilidades icônicas como as suscitadas pela teoria mencionada, o que, por sua vez, parece significar que esse último arcabouço se refere a aspectos realmente básicos da cognição e da linguagem. Este artigo tenta mostrar que tudo isso está correto recorrendo a um exemplo que parece não ter sido estudado em profundidade a partir dessa perspectiva: o caso das sentenças ilusórias disjuntivas, ou seja, sentenças disjuntivas que as pessoas tendem a considerar verdadeiras e que na verdade não são.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Miguel López-Astorga, Universidade de Talca, Talca, Maule

Full Professor, Institute of Humanistic Studies "Juan Ignacio Molina", University of Talca, Talca Campus, Chile

Downloads

Publicado

2020-05-08

Como Citar

López-Astorga, M. (2020). As Formas Lógicas Dependem de Modelos Semânticos: as Sentenças Disjuntivas Ilusórias como Evidência. Revista Da Anpoll, 51(1), 118–124. https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1340

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2020)