As Notas de Rodapé e a Visibilidade do Tradutor na Tradução Brasileira de Recherche de Proust

Sheila Maria dos Santos

Resumo


O objetivo desse artigo é apresentar uma leitura crítica das notas paratextuais da obra À la Recherche du Temps Perdu, de Marcel Proust, na primeira tradução integral brasileira, a qual possui como particularidade o fato de ter sido assinada por eminentes escritores-tradutores, a saber, Mario Quintana, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e Lucia Miguel Pereira, de modo a identificar a função exercida pelas notas na tradução de cada escritor-tradutor, contemplando, dessa forma, a unidade discursiva da Recherche. Para tanto, serão utilizadas como base teórica a obra de Gérard Genette, Paratextos editoriais (2009), bem como obras de autores que se debruçaram sobre o contexto histórico brasileiro da época, como os editores Bertaso (1993) e Verissimo (1996), entre outras.


Palavras-chave


Marcel Proust; Paratextos; Escritor-Tradutor

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i50.1345

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Sheila Maria dos Santos

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.