Enem em Libras como Corpus Linguístico: Metodologia para Produção de Glossários em Libras

Autores

  • Gláucia Caroline Silva-Oliveira Universidade Federal do Pará, Bragança, Pará http://orcid.org/0000-0001-5607-5835
  • Débora Campos Wanderley Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina
  • Marianne Stumpf Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1358

Palavras-chave:

Terminologia, Corpora, Linguística, Libras, Enem

Resumo

A implementação das políticas linguísticas e de acessibilidade tem contribuído para a ampliação dos espaços de atuação da comunidade surda. Exemplo disso é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que desde 2017 tornou-se acessível para estudantes surdos apresentando a prova traduzida para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Dessa forma, a videoprova pode ser considerada como um documento de registro da língua em questão para as diversas áreas do conhecimento a qual o exame se destina. Assim, este artigo propõe a prova do Enem em Libras como corpora linguísticos para estudos léxico-terminográficos, bem como delimita os passos metodológicos para a construção de um Glossário em Libras digital, tendo como exemplo a área de ciências biológicas. O presente trabalho fundamenta-se na teoria comunicativa da terminologia proposta por Cabré (1999) focada nos princípios da poliedricidade do termo, do caráter comunicativo da terminologia e na variação. Esta proposta é importante por viabilizar que o pesquisador compile seu próprio banco de dados e material de pesquisa, além disso, contribui para o aprimoramento do fazer terminográfico e para a ampliação dos registros de terminologias nas diversas áreas do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gláucia Caroline Silva-Oliveira, Universidade Federal do Pará, Bragança, Pará

É professora Adjunta IV da Universidade Federal do Pará, Instituto de Estudos Costeiros, Campus universitário de Bragança. Graduada em ciências biológicas; especialista em Docência no Ensino Superior e Interpretação e  Tradução da Libras; mestrado em Biologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos e doutorado em Recursos Biológicos da Zona Costeira Amazônica. Realizou estágio pos doutoral na Universidade Federal de Santa Catarina (2019-2020) na área de Linguística Aplicada/Libras com foco na elaboração de glossário em Libras para a ciências biológicas.

Débora Campos Wanderley, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina

Possui graduação em Pedagogia pelo Instituto de Ensino Superior da Amazônia (2009), graduação em Letras Libras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC - 2010), mestrado em Lingüística pela UFSC (2012) e doutorado em Lingüística pela UFSC (2017). Coordenadora do Curso de Letras Libras Presencial e Professora do Departamento de Libras da UFSC. Tem experiência na área de Linguística, Tradução e Educação, com ênfase em Educação de Surdos, Libras e SignWriting, atuando principalmente nos seguintes temas: professora de linguística, escrita de sinais e tradutora de português para Libras/SignWriting.

Marianne Stumpf, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina

Possui graduação em tecnologia de informática pela Universidade Luterana do Brasil (2000), graduação em Educação de Surdos pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2004) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio na Universidade de Paul Sabatier e Universidade de Paris 8 (2001-2005). Pós-doutorado na Universidade Católica Portuguesa (2013-2014). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Santa Catarina, professora de pós graduação em linguística da USFC. Líder do Grupo de Pesquisa de Estudos sobre o SignWriting registrado no CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa Léxico e terminologia em Libras: tradução, validação e tecnologia registrado no CNPq (www.glossário.libras.ufsc.br). Tem experiência de 20 anos na área de Educação, com ênfase em Educação de Surdos, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores de libras, escrita de sinais pelo sistema SignWriting, traduções, terminologia de libras, sinais internacionais e formação de intérpretes de libras. Membro da comissão de assessoramento técnico-pedagógico em Libras da DAEB/INEP e as traduções de Enem 2017, 2018 e 2019 em Libras.

Downloads

Publicado

2020-05-08

Como Citar

Silva-Oliveira, G. C., Campos Wanderley, D., & Stumpf, M. (2020). Enem em Libras como Corpus Linguístico: Metodologia para Produção de Glossários em Libras. Revista Da Anpoll, 51(1), 106–117. https://doi.org/10.18309/anp.v51i1.1358

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2020)