O gênero poetry slam: reexistência e construção da identidade negra como um grito das vozes do sul

Natália Barreto Felix, Talita de Oliveira, Fabio Sampaio de Almeida, Maria Cristina Giorgi

Resumo


Partindo do poder de intervenção e invenção da linguagem (ROCHA, 2006, 2014), este trabalho objetiva compreender o poetry slam como gênero discursivo contemporâneo de reexistência (SOUZA, 2011) que ecoa vozes de sujeitos subalternizados sócio-historicamente – especialmente jovens negros das periferias – nossas vozes do sul. A proposta teórico-metodológica foca-se na análise discursiva do poema-slam intitulado "Século XXI", do slammer carioca Weslley Jesus (WJ), disponível no YouTube. As análises apontam para posicionamentos de resistência aos discursos hegemônicos que legitimam a necropolíticas voltada para jovens negros das periferias brasileiras. Essas vozes apropriam-se da linguagem como instrumento estético-político-ideológico produzindo resistência ao racismo e a outras formas de opressão. Os resultados apontam para a importância de outros estudos sobre slam de modo a aprofundar as análises acerca desse gênero de reexistência, trazendo para o centro do debate vozes e demandas de sujeitos apartados da produção de conhecimento.


Palavras-chave


Slam; Gênero do Discurso; Reexistência; Identidade Negra; Vozes do Sul

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v51i2.1392

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Natália Barreto Felix, Talita de Oliveira, Fabio Sampaio de Almeida, Maria Cristina Giorgi

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.