Certas Marias, outras Marianas: a construção da identidade feminina em O retrato do rei

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v51i3.1446

Palavras-chave:

Identidade feminina, Meta-história, O retrato do rei, Ana Miranda

Resumo

O presente artigo objetiva problematizar a construção da identidade feminina na realidade brasileira a partir do romance O retrato do rei, de Ana Miranda. Fazendo uso da meta-história, a obra apresenta um recorte da história do Brasil, pondo em foco uma diversidade de categorias identitárias femininas. Seja Maria ou Mariana, suas personagens constituem pano de fundo para expressar a construção de papéis sociais que delineiam a identidade feminina. Embora se paute na (re)contação da história, o livro investe na ressignificação do cotidiano, traçando uma ponte entre os diferentes perfis de mulheres apresentados na narrativa metaficcional e os identificados no contexto atual, tornando-se um significativo estímulo para uma análise crítica da realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cristina Reis Maia, Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

Analista Judiciária no TJRJ, com formação em Serviço Social, Psicologia e Letras e Mestrado Acadêmico em Antropologia e Estudos Literários (em curso).

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Maia, C. R. (2020). Certas Marias, outras Marianas: a construção da identidade feminina em O retrato do rei. Revista Da Anpoll, 51(3), 167–176. https://doi.org/10.18309/anp.v51i3.1446

Edição

Seção

Estudos Literários (2020)