O BONDE DE ORFEU: CONSIDERAÇÕES SOBRE UM ENGUIÇO

Autores

  • Claudio Celso Alano da Cruz UFSC

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i35.656

Palavras-chave:

Favelas cariocas. Marcel Camus. Orfeu negro. Vinicius de Moraes. Representação cinematográfica. Roberto Schwarz

Resumo

Este artigo pretende fazer uma discussão sobre a representação das favelas do Rio de Janeiro no filme Orfeu negro (1959), de Marcel Camus, sua adaptação da peça Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes, publicada em 1954. Trata-se de relacionar tal representação ao “conceito” de Roberto Schwarz conhecido pela palavra “enguiço”, utilizada no ensaio “O bonde, a carroça e o poeta modernista”. A escolha desse particular “conceito”  mostra o desejo de rever as críticas que permanecem fixadas nos aspectos externos à estética proposta por Marcel Camus

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Claudio Celso Alano da Cruz, UFSC

Claudio Celso Alano da Cruz é pesquisador PQ-2 do CNPq e professor Associado III da UFSC na área de Literatura Brasileira. Doutor em Teoria Literária pela PUCRS, realizou Pós-Doutoramento na Universidade de Buenos Aires (UBA)

Downloads

Publicado

2013-12-15

Como Citar

Cruz, C. C. A. da. (2013). O BONDE DE ORFEU: CONSIDERAÇÕES SOBRE UM ENGUIÇO. Revista Da Anpoll, 1(35), 309–339. https://doi.org/10.18309/anp.v1i35.656